Voltar

Palmito Pupunha: Saiba tudo sobre o mais saboroso dos palmitos

Além do Sabor

14/08/2018

Extremamente leve e versátil, o palmito combina com praticamente tudo dentro da gastronomia.  Extraído do interior da palmeira, o palmito é um vegetal pouco calórico e muito rico em nutrientes.

Segundo a EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), o Brasil é hoje, além de o maior produtor e consumidor de palmitos, também o maior exportador mundial do produto, chegando a ser responsável por cerca de 95% de todo o palmito consumido ao redor do mundo.

O palmito faz parte da nossa história muito antes da colonização do país. O alimento já era consumido em nossas terras pelos índios e chegou a ser citado por Pero Vaz de Caminha em uma carta enviada ao rei de Portugal.

Na nossa culinária, existem basicamente três tipos de palmito: juçara, açaí e pupunha. Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre o mais leve, saboroso e versátil deles, o palmito pupunha.

O palmito pupunha

A pupunha é uma palmeira originária das Américas. Possui um sabor adocicado e suave, que pode ser combinado com quase qualquer outro ingrediente para formar pratos irresistíveis. Com uma textura macia e menos fibrosa do que os demais tipos de palmito, o Pupunha conquistou seu lugar de apreço dentro da gastronomia sofisticada. 

O palmito pupunha é facilmente encontrado in natura em feiras e hortifrútis e pode ser comercializado em variados tipos de corte, entre eles o espaguete, fatiado em rodelas, picado em quadradinhos, tolete e o inteiro. 

Melhor para o meio ambiente

Além de saboroso e benéfico para a nossa saúde, o palmito pupunha é também é a melhor escolha quando se trata do meio ambiente. A produção de palmito no Brasil ainda é baseada na exploração de espécies nativas como a juçara, originária da Mata Atlântica e do Açaí, natural da floresta Amazônica.  A grande extração desses palmitos vem contribuindo com a extinção dessas espécies, principalmente a juçara, a qual tem como consequência, da retirada do palmito, a morte da planta.

Nesse contexto, a pupunha, nativa da região amazônica, onde é cultivada para a produção de frutos, vem crescendo como uma alternativa para o cultivo sustentável econômica e ambientalmente do palmito. Ao contrário da juçara, a pupunha não morre ao se retirar o palmito, pois assim como as bananeiras, elas formam touceiras e após o primeiro corte os “filhotes” crescem, permitindo a produção permanente do produto.

Bom para a sua saúde

Extremamente benéfico para a saúde com pouquíssimas calorias, o palmito pupunha é uma ótima opção em dietas saudáveis e equilibradas por ser rica em vitaminas A, C e do complexo B, ferro, cálcio, fósforo e magnésio.

Confira os maiores benefícios do palmito pupunha:

- É fonte rica de potássio: Mineral de suma importância para o bem-estar do nosso organismo, beneficia nossa saúde óssea e muscula. Ajuda a regular o metabolismo e combate os sintomas do estresse e da ansiedade.

- Vitamina C: O palmito possui grande quantidade de vitamina C, responsável por manter saudável o sistema imunológico, prevenindo a propensão a gripes e resfriados e entre outras infecções.

- Possui fibras: As fibras alimentares ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue, a reduzir o colesterol ruim, evitando o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes. Além de ajudarem a aumentar o tempo de saciedade, o que ajuda no processo de emagrecimento e manutenção do peso.

- É amiga dos músculos: Além do potássio que é fundamental para a saúde muscular, o palmito também possui zinco, mineral essencial para sintetizar as proteínas, fundamentais para os músculos.

Formas de utilização

Com toda a sua versatilidade, o palmito pupunha pode ser utilizado de várias formas na gastronomia. Desde saladas, recheios, acompanhamentos, até ser a estrela do prato. O palmito em tolete, ainda com a casca pode ser assado, partido ao meio e servido bem temperado. Fatiado, pode ser utilizado para fazer um saboroso carpaccio.

Também é comum vermos o palmito pupunha sendo utilizado como massa em formato de espaguete e talharim, e em lasanhas, tornando pratos clássicos muito atrativos em formatos menos calóricos e mais saudáveis.

Além dos clássicos recheios de empadas, tortas e pastéis, saladas, cremes e risotos, o palmito pode ser feito assado, grelhado e até mesmo frito, empanado, o palmito pupunha também é ótimo acompanhamento para carnes, sejam vermelhas, como o medalhão e o entrecôte, brancas como o frango, ou frutos do mar, como o atum, bacalhau e o camarão.

Versões vegetarianas de pratos como strogonoff, hambúrguer, moqueca e bobó, ganham o palmito pupunha como ingrediente principal.

Leve, saboroso, versátil, nutritivo e sustentável, o palmito pupunha é um desses ingredientes que não podem falta na sua alimentação.

Conheça também a história e as variedades da fondue

Recentes